segunda-feira, 3 de agosto de 2009

A Paranóia Suína

De algumas décadas para cá, constantemente tem havido uma ampla disseminação de novas doenças, causadas por uma geração nova de bactérias e vírus, nunca antes vistos pelo homem. Um fato que interliga todas essas doenças é de curiosamente todas terem sido inicialmente detectadas em animas antes de serem transmitidas ao homem. É o caso das gripes aviária e suína, do mal da vaca louca entre outras.
A origem de tudo isso infelizmente é ainda pouco divulgado (mas já conhecida), talvez pelo perigo que causariam certas informações se fossem amplamente disseminadas.

Tomando como exemplo o mal da vaca louca, é sabido que uma determinada proteína (Príon), produzida através de uma mutação genética, causou essa doença. Mas indo mais fundo e buscando saber o que causou essa mutação, descobrimos que foi nada mais nada menos que a ração que o animal ingere. Esta ração, pasmem, feita para bovinos é feita de restos dos mesmos. Ou seja, utilizam-se de restos de vacas e bois mortos (não é muito suspeitar que alguns mortos por doenças) para alimentar os animais vivos que servirão futuramente de alimento. Não bastasse o canibalismo bovino que já deve ter isoladamente sérias conseqüências para o organismo do animal, esse fato ainda soma-se a “cavalar” quantidade de hormônios e antibióticos que os animais ingerem (e não se enganem, ao comermos a carne destes animais ingerimos também os mesmos hormônios e antibióticos que estes possuíam na sua carne), causando a mutação que acabou por criar essa nova doença, o mal da vaca louca, que causou tanto temor no mundo.

Atualmente o animal e a doença são outros, mas não é muito suspeitar que a causa de tudo isso seja a mesma, já que todos os animais que são criados destinados ao abate passam invariavelmente pelo mesmo tipo de tratamento alimentar e invariavelmente uma imensa dose de crueldade física, típica da mente sádica humana que se esquece que estes seres tratam-se de vidas não de simples produtos ou mercadorias que tem por finalidade apenas duas funções: alimentação humana e lucro.

Mas esse post não é de cunho biológico, mas sim político.
Visto o enorme alarde que se esta sendo dado a nossa mais nova epidemia, a gripe suína, é importante questionar alguns pontos:

Primeiro, porque tamanho alarde se essa nova gripe comparativamente à gripe comum tem índice de mortalidade até inferior? Pra que esse sensacionalismo midiático, que ao invés de ajudar somente atrapalha, causando pânico nas pessoas que acabam por superlotar os hospitais e postos de saúde tornando ainda pior o nosso sistema de saúde pública, e em decorrência disso, causando indiretamente inúmeras mortes por falta de atendimento, mau atendimento ou falta de tratamento?

Começo a imaginar que o problema do número elevado de óbitos por causa do “tão temido” Influenza A (H1N1), tem sua origem muito mais nos problemas sócio-políticos dos países afetados do que na “potência” do vírus propriamente dita, pois é sabido que países pobres têm invariavelmente um sistema de saúde pública de péssima qualidade, e que com esse gigantesco alarde midiático torna-se pior ainda, pois acarreta uma maior superlotação, pior atendimento e diagnóstico e em conseqüência, tratamento. Curioso que, em comparação, são raríssimas as pessoas com acesso a um sistema de saúde melhor do que o público que chegam a óbito por causa dessa virose.

Não seria melhor então que cada um cumprisse o seu papel, ou seja, a mídia informasse ao invés de desinformar e criar pânico, o Estado melhorasse o sistema de saúde pública, criando mais vagas, melhorando o atendimento, tornando acessível à população pobre os avanços tecnológicos da medicina, sem esquecer de melhorar inclusive o salário dos profissionais desta área que por vezes são obrigados a trabalhar em turno dobrado ou triplicado por causa da sua baixa remuneração o que acaba por afetar a qualidade do atendimento oferecido por esse profissional. Mas não nos esqueçamos da origem de tudo isso: a criação de animais para abate. Será que não é possível que seja mais bem regulada, inspecionada, humanizada (se é que isso é possível) e que sejam proibidas certas praticas comuns hoje no tratamento por sua crueldade e possível dano à saúde animal e humana?

Suponho que o homem seja sim capaz de fazer isso, mas existe uma lógica que o atrapalha e impede de fazer isso: a lógica de mercado, a lógica de competição e lucro, que faz com que a imprensa seja sensacionalista para vender mais e obter maiores lucros, fazendo com que a indústria farmacêutica também fature alto com a mais nova doença do “mercado” (já que foi criada uma ampla demanda dos seus medicamentos, tendo por pano de fundo o alarde midiático e a paranóia generalizada que foi então criada); que faz a criação animal ser tão nojenta e sádica em prol de maiores lucros, pouco se importando com as conseqüências físicas (para o animal e para o homem) e sociais daquilo e, por fim, o jogo de interesses políticos que faz com que o Estado não invista em certos setores chave como a saúde, jogando-o para uma privatização que se traduz em um “cada um por si”, pois quem pode pagar por um sistema de saúde decente, que pague e viva, quem não pode, que morra na porta de um hospital público ou de um posto de saúde.


Vídeo muito bom que mostra os nojentos interesses da indústria farmacêutica no pânico generalizado que foi criado em torno da gripe suína:
http://www.youtube.com/watch?v=CcgCBiyGljM

Filme Terraqueos (Earthlings) que mostra a desumanidade do ser humano no trato dos animais, o que pode explicar muito sobre as doenças nascidas nesses seres, por consequência dos maus tratos e da crueldade que por fim, passam para nós humanos:
Baixe aqui
Assista aqui ou aqui.

4 comentários:

Rodapé disse...

Ótima analise Thi. estava sentindo falta dos teus textos.
Bjus!

Fran Lelis

Jaqueline disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jaq disse...

"Não sei em que momento da vida nos deram um animal para comer, mas sei exatamente o momento em que deixamos de colaborar com este crime ".
Parabéns!

Beijos

Doug T. Ferrante disse...

É isto que está faltando nesta atmosfera blogueira: Espontaneidade e criatividade.

Muito me anima ver que existem pessoas que não copiam textos jornalísticos de qualquer noticiários de internet. Que desenvolvem seu ponto de vista baseados em fatos recentes.

Rapaz, excelente blog. Acabei de virar seu seguidor. Espero que faça uma visita em meu blog também e opine sobre o que achou. Já estou seguindo você!

http://dougferrante.blogspot.com